O melhor do Algarve: ir mais longe para quê?

É a “menina dos olhos” dos visitantes do norte da Europa que por cá procuram um lugar para assentar e criar raízes. Da região, além do clima, gabam a luminosidade, a beleza natural, a gastronomia, a simpatia e tolerância das suas gentes, a segurança, a variedade de alojamento e atividades. Então, porque não usufruir desta joia do turismo nacional? Venha conhecer cinco localidades do Algarve, de leste para oeste, e descubra qual a perfeita para si!

 

 

 

 

 

 

 

Tavira – Para quem privilegia não só o clima e as praias mas também um belo cenário, encantador e cheio de memórias, e busca um ritmo de férias mais relaxado, Tavira é uma excelente opção. O seu centro transporta-nos no tempo e a cidade parece atrair uma descontraída comunidade artística internacional. Construída entre os séculos VIII e XIII, foi uma localidade árabe até 1242, altura em que foi erguido o seu castelo. As descobertas arqueológicas indicam que por aqui haviam passado também os fenícios, que vinham trocar mercadorias e abastecer-se para as suas viagens pelo Mediterrâneo, e que depois deles chegaram os romanos, como demonstra a ponte sobre o rio Gilão. Também os amantes da natureza encontram em Tavira um local idílico, entre as praias da ilha de Tavira e de Cabanas ou o fenomenal Parque Natural da Ria Formosa, um ponto de paragem para muitas aves migratórias além de afamado local de cultivo de ostras. Ou seja, se procura charme, tranquilidade, paisagens naturais e algum requinte, a zona de Tavira é para si!

 

 

 

 

Albufeira – De certa forma, a hedonista Albufeira é o oposto diametral de Tavira. Esta capital do turismo multinacional e jovem do Algarve é ideal para quem quer as suas férias bem preenchidas por festas, eventos de todo o género, agitada vida noturna e muita diversão. Ver e ser visto faz parte de qualquer passeio pela Avenida Francisco Sá Carneiro, de Montechoro a Areias de São João, mas durante o dia não deixe de fazer um passeio de barco para ver a bela costa escarpada e praias escondidas às quais apenas se chega vindo do mar. E o resto são praias, e que praias: inesquecíveis, a praia do Pescador do Evaristo ou do Castelo, a praia de São Rafael, à qual se chega por uma escada ao longo da falésia, a clássica Olhos d’Água e a bela praia da Lagoa dos Salgados. Se para si as férias perfeitas incluem muita animação, socializar, praticar línguas e frequentar um ou outro bar internacional, Albufeira é o destino perfeito!

 

 

 

 

Carvoeiro – Pôr-do-sol no Algar Seco e a costa escarpada em cenário: para quem aprecia uma paisagem dramática, o Carvoeiro é certamente uma opção a considerar. As descidas para as praias são quase sempre intensas mas, por outro lado, lá em baixo, terá à sua espera um pedaço de paraíso na terra. Carvoeiro, Carvalho, Marinha, Paraíso (o nome diz tudo) ou Vale de Centeanes são os destinos mais populares, mas lembre-se que, ao contrário de muitas outras no Algarve, estas praias não estão classificadas como acessíveis para pessoas de mobilidade reduzida. Trata-se de um litoral serpentante que, durante séculos, foi procurado por piratas, daí a existência dos fortes de Nossa Senhora da Conceição, construído no século XVIII para salvaguardar a área das investidas de corsários, e de São João de Arade, em Ferragudo, que data do século XV e que tinha como objetivo proteger o estuário do rio Arade. Aliás, para ter um pedacinho da experiência desses tempos nada como dar um passeio num navio pirata até às grutas da costa de Portimão: uma experiência imbatível para os mais pequenos! Se procura uma paisagem diferente e acha que uma magnífica praia vale bem umas centenas de degraus, o Carvoeiro é para si!

 

 

 

 

Alvor – É um clássico das férias de verão. Perto de Portimão, o Alvor é, desde há muito, um dos locais preferidos dos portugueses para férias no Algarve e talvez por isso mantenha ainda uma dimensão e uma atmosfera tão familiares. De facto, apesar de se estar a tornar muito popular junto dos estrangeiros que veraneiam nesta zona, basta um passeio pelo seu centro histórico pedonal para se sentir que se está numa pequena e acolhedora cidade. Outra vantagem é a de estar perto de centros urbanos de maior dimensão. Quer usufruir da vida noturna de Lagos ou do comércio de Portimão? Está perto de ambos. Mas o Alvor oferece um quotidiano que é perfeito para jovens famílias ou para quem procura tranquilidade. Junto à praia, a oferta de restauração é enorme e nunca desilude. As praias são simplesmente idílicas e os campos de golfe estão a par dos internacionais. Se procura um programa diferente pode inscrever-se num dia de canoagem, explorar a reserva natural do estuário do Alvor ou visitar as ruínas romanas de Villa Abicada. Se procura uma grande oferta de atividades num ambiente familiar, o Alvor é para si!

 

 

 

 

Sagres – Talvez o vento leve as palavras, mas o que é certo é que Sagres é ainda um dos locais mais serenos para quem quer fazer férias no Algarve. A Fortaleza de Sagres, construída no século XV e reconstruída no século XVIII, depois de ter sido atacada pela frota do famoso corsário britânico Sir Francis Drake, e toda a história da navegação portuguesa pelo mundo que aqui foi planeada parecem conceder a Sagres a confiança e a tranquilidade de um sítio que já viu muito. Ideal para quem sonha com umas férias que incluam caminhadas e ciclismo mas onde tem também ao seu dispor campos de golfe ou escolas de mergulho. E, claro, o surf tornou-se há muito uma imagem de marca da povoação. Se planeia iniciar-se na atividade encontrará aí várias escolas. Mas pode simplesmente sentar-se numa esplanada da Praça da República a ver quem passa, apanhar sol na praia da Mareta ou deambular pelo porto da Baleeira. O cabo de São Vicente espera pela sua visita com a mesma calma com que observa a vida do Homem a desenrolar-se há séculos. Se o contacto com a natureza e com a História é aquilo que dá valor às suas férias, Sagres é a escolha para si!

 

Reserve já as suas férias nos destinos mais procurados do Algarve com a Agência Abreu!

Comentários “O melhor do Algarve: ir mais longe para quê?”