O que é que a Bahia tem?

Associamo-la a praias infindáveis, ao calor tropical, à música envolvente, à comida deliciosa, ao ritmo, à desinibição e à alegria. A Bahia, cuja imagem sensual deve tanto aos romances de Jorge Amado e João Ubaldo Ribeiro quanto às vozes de Dorival Caymmi, João Gilberto, Caetano Veloso ou Ivete Sangalo será sempre um destino popular. Venha descobri-lo!

 

 

 

 

 

Cultura Baiana

 

 

 

Muito do que torna a Bahia única é a sua cultura, dita afro-brasileira. E a razão pela qual é diferente daquela que encontramos noutros pontos do Brasil prende-se com a origem dos escravos que para aí foram conduzidos a partir do século XVI. A Baía de Todos os Santos foi o ponto de chegada dos portugueses à terra de Vera Cruz e foi aí que se concentraram inicialmente muitas das explorações agrícolas ligadas à plantação da cana-de-açúcar, por exemplo. Os escravos que trabalhavam nas enormes senzalas eram essencialmente traficados a partir de dois pontos em África, em traços largos correspondentes ao território hoje ocupado por Benim e Nigéria. Daí o cunho especial da religião, gastronomia, música e dança baiana. Muito se deve também à importância do culto na população Yorubá, que se traduziu no candomblé e na crença das suas divindades totémicas, os Orixás, em particular no da deusa da fertilidade feminina e das águas, Iemanjá, que tanto identificamos com a cultura baiana.

 

 

Gastronomia

 

 

Grande parte do prazer de conhecer a Bahia é provar os pratos locais. O óleo de palma, o leite de coco e o gengibre são condimentos que não podem faltar. O vatapá, a moqueca, o bobó de camarão, o caruru ou o acarajé são algumas das delícias que pode provar, sendo que no dia-a-dia também são muito consumidos pratos de raiz portuguesa, como guisados ou ensopados. As sobremesas são outro mundo a explorar, da canjica e cocada, ao pé-de-moleque e quindim. Na terra do açúcar, café e cacau, as regras são para relaxar, senão mesmo, esquecer!

 

 

 

 

 

 

Salvador

 

 

Com as suas ruas empedradas, o centro histórico de Salvador é uma viagem ao tempo da colonização portuguesa. Os bairros do Pelourinho, Sé e Pilar são aqueles onde vai encontrar os monumentos e edifícios dos séculos XVI a XIX. As igrejas, em particular, refletem bem a opulência e riqueza que daqui eram extraídas em produtos como o pau-brasil e o açúcar. A Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, a Catedral de Salvador e a Igreja e Convento de São Francisco merecem uma visita, e quem procura outro tipo de templo tem sempre o estádio Barradão para assistir a uma partida. Em tempo de Carnaval, o Afródromo é o destino mais concorrido numa cidade que goza este feriado até à última gota de suor! Para uma manhã ou tarde mais calmas o museu Rodin Bahia oferece um oásis de tranquilidade.

 

 

 

 

Carnaval

 

 

 

É o maior carnaval de rua do mundo e o local onde foi inventado o famoso “trio elétrico”, em 1950. Passar o Carnaval em Salvador é uma experiência que dificilmente se esquece. E até os turistas podem participar através da aquisição do abadá (o uniforme das escolas) que dá acesso aos camarotes ao longo das avenidas onde passam os blocos e onde está sempre disponível comida e bebida.

 

 

 

 

 

 

 

Porto Seguro e Itacaré

 

 

 

Bahia é também praia, algo que não falta nos seus 900 quilómetros de costa. E que praias! Desde a mítica Itapuã, preferida dos habitantes de Salvador, e que inspirou Vinicius de Moraes, até às mais longínquas. A Costa do Cacau é conhecida por dois locais paradisíacos: Itacaré e Ilhéus. Rodeadas de Mata Atlântica onde vive o adorável mico-leão-de-cara-dourada além de tantas espécies de aves coloridas, estas localidades prometem sol, mar, cachoeiras e descanso. Se é fã de Jorge Amado ou da telenovela baseada no seu romance “Gabriela, Cravo e Canela”, não deixe de beber um chope no famoso bar Vesúvio, que permanece no mesmo local desde a sua fundação, em 1920. Mais a sul, a Costa do Descobrimento inclui a localidade histórica de Porto Seguro, que alia tradição à beleza natural. E se continuar mais para sul ainda chega à Costa da Baleia onde, como o nome indica, poderá observar estes maravilhosos cetáceos, de junho a novembro. Outros locais que merecem uma visita são o Parque Nacional da Chapada Diamantina, no interior, que oferece 152 mil hectares de natureza protegida, montanhas, grutas, cachoeiras e piscinas naturais, a zona de Una, onde o ecoturismo é praticado com muito sucesso e, a norte, a Costa dos Coqueiros, onde a rodovia ecológica BA-099 oferece panoramas de incomparável beleza.

 

Como diria Caymmi em “Você já foi à Bahia?”: “Tudo, tudo na Bahia /Faz a gente querer bem /A Bahia tem um jeito /Que nenhuma terra tem”.

Comentários “O que é que a Bahia tem?”